Meditação do dia

Terça-Feira - 30/09/2014

Os Profetas Menores (II) – Mq/Na/Hc/Sf/Ag/Zc/Ml
Miqueias (III) – A visão do Messias em meio ao mal

Um único em quem confiar

Leitura diária: Miqueias 7.1-7
Leitura da Bíblia em um ano: Isaías, capítulos 47, 48 e 49

 

A palavra profética agora se presta para ambos os reinos. Miqueias não as designa para este ou aquele reino: Norte ou Sul. Ele, simplesmente, traça um triste perfil de como a moral do povo de Deus se havia corrompido. Os sete versículos desta leitura vão num crescendo de tristeza e abatimento, até que no último deles, o sétimo, surge um alento de esperança, um sopro de futuro:


– Ele começa traçando a perspectiva de desalento que envolvia o homem de Deus diante da queda moral em Israel e Judá. A linguagem é figurada. O alimento que ele procura, como frutos de verão, uvas e figos, são alimentos para a alma e não para o corpo humano. Ele queria amor, confiança, solidariedade, respeito.

– Aponta então para um problema muito sério que cercava Israel: o homem piedoso, reto de coração, não existia mais. Só se via em Israel o homem ímpio e cruel que tentava se aproveitar dos mais fracos.

– A vida desses homens era voltada apenas para o mal. E isto eles faziam com diligência. Os nobres e juízes exigiam suborno em proveito próprio para julgarem as causas dos pobres. Os ricos cultivavam o mal em seu coração.

– Mesmo o melhor dos homens não tinha nada que o enobrecesse (era como um espinho que fere e maltrata).

– A confiança da amizade sincera e honesta não existia mais (não creias no amigo, nem confies no companheiro).

– Até a confidência e o segredo pessoal deveriam ser guardados a sete chaves, pois até o aparentemente mais fiel amigo poderia delatá-lo.

– Para piorar ainda: os filhos desprezavam os pais... as filhas se insurgiam contra as mães... a nora contra a sogra... E para demonstrar o mal moral que tomava conta de Israel, o profeta conclui a sua lamentação: "os inimigos do homem são os da própria casa". É quando então, diante de um quadro tão tristonho e pecaminoso, o profeta exclama com toda a convicção:


"Eu, porém, confiarei no Senhor;
esperarei no Deus da minha salvação.
O meu Deus me ouvirá"
(Mq 7.7).

 

Oração para o dia:

Prepara-me, Senhor, para enfrentar os males desta vida com a certeza de que quando tudo me falhar, eu ainda tenho em quem confiar.

Outras Meditações

Newsletter
NOME:
E-MAIL:

JUERP- todos os direitos reservados 2010